Blog_

Decoração e Design

“É necessário sair da ilha para ver a ilha”

Bom dia! É com um trecho de José Saramago que abro a nossa coluna da semana que aborda alguns erros comuns que tendenciosamente assumimos em nossas casas e que atrapalham a rotina sem nos darmos conta da origem dos transtornos. Muitas vezes, enxergar a situação de fora para dentro pode trazer as respostas que buscamos. É a chamada “visão dissociada”.

Ter uma trena a tiracolo não deveria ser coisa apenas de arquiteto ou decorador

É fundamental pensarmos da funcionalidade dos ambiente e arranjos – agir por impulso é sempre ruim, e na decoração não poderia ser diferente. Nas reuniões iniciais com os clientes, já ouvi diversas vezes frases do tipo: “comprei porque estava na promoção”, “achei que ia combinar”, “não fazia ideia de como era grande”, “o sofá da minha sala é retrátil, mas não serve para nada”, e por ai vai!
E com base nesses questionamentos, vamos esclarecer algumas regras básicas que poderão minimizar os impactos finais na sua casa:

. Excesso de enfeites:
Para imprimir sua personalidade sem poluir ou “diminuir” o ambiente, eleja um ou dois objetos de destaque para cada móvel e descarte os demais, livrando-se daquilo que já nem é percebido. Para os colecionadores, a dica é manter pisos e paredes em tons neutros, deixando que o estilo sobressaia pelos elementos decorativos e móveis menores, como aparadores e mesas laterais. Organizar as coleções em prateleiras na parede desobstrui os campos de visão, imprimindo a sensação de ordem.

. Falta de assentos:
A conta é: quantas pessoas podem ser acomodadas na sua casa? Se a mesa de jantar tem quatro cadeiras, o ambiente de estar deve acomodar quatro pessoas, e assim por diante. Essa regra de proporção deve ser considerada sempre! De que adianta ter uma sala de estar superdimensionada e uma mesa de jantar que atenda apenas quatro convidados? Não é a falta de espaço a desculpa para a falta de assentos. Soluções como banquinhos empilháveis, pufes debaixo de aparadores e mesa de jantar extensível permitirão que você tenha a mão opções para atender seus convidados sem maiores transtornos.

. Alturas equivocadas:
Tudo o que vai na parede deve ser previamente planejado, como já vimos em colunas anteriores. Quadros colocados aleatoriamente podem tomar muito espaço e dar a sensação de que a parede encolheu. Quanto a luminárias e pendentes: eles devem compor o ambiente sem interferir nos campos de visão. Normalmente a altura ideal é indicada pelo fabricante, então sempre avalie com cautela a colocação de quadros nas paredes que farão fundo aos pendentes.

. Proporção dos móveis:
Mobiliário volumoso requer ambiente amplo. Não se deixe levar pelo preço de uma promoção ou pela falsa sensação de conforto de ter um sofá retrátil incrível na sua sala se quando ele estiver aberto o caminho for obstruído. Estude se ele não vai atrapalhar a circulação das pessoas quando estiver aberto. O mercado oferece uma infinidade de móveis sob medida que poderão se encaixar perfeitamente na área disponível que você possui, garantindo uma boa circulação e otimizando os espaços. Vale o investimento.

. Mistura de revestimentos:

O espaço parecerá menor na medida em que houverem mais interferências visuais por conta de estampas e cores no chão e na parede. Por isso, investir em cores claras e revestimentos neutros vai garantir a sensação de amplitude, permitindo que a ousadia venha por meio das estampas de almofadas, cores dos objetos e cortinas. Eleja uma paleta de cores e a partir dela inicie a composição das estampas.

Dicas: Tapetes

A funcionalidade do tapete independe do tamanho do imóvel ou do espaço disponível. Alguns critérios devem ser observados no intuito de assegurar o conforto com o investimento.
Essa peça é estratégica numa composição, pois une elementos e delimita o espaço do ambiente, por isso a definição da estampa e tamanho são fundamentais para o sucesso estético e funcional do projeto.
Alguns tapetes são vendidos por peça, outros por metragem – levar a planta ou croqui do cômodo na loja pode evitar erros comuns no dimensionamento.

Escolha e adequação:
– Se o sofá e poltrona forem coloridos ou estampados o tapete deverá ser neutro, no intuito de evitar conflitos visuais.

. Na sala de estar: o tapete deve avançar cerca de 20 cm para baixo do sofá, rack e poltronas a fim de assegurar o efeito de delimitação harmônica do espaço e também evitar deslizamentos.

. No ambiente de jantar: considere o espaço das cadeiras para fora da mesa como se estivesse sentado e adicione cerca de 20 cm de folga, assegurando dessa maneira que as cadeiras não fiquem para fora do tapete. Aqui, evite tapetes felpudos e densos, pois as cadeiras poderão danificá-lo.

Salas de jantar funcionam muito bem sem tapetes e passadeiras ao lado das camas também atendem a necessidade. Aqui, dicas são meras sugestões.

. No quarto: considerando o tapete em baixo da cama, partimos da distância de 1,00 m desde a cabeceira, avançando cerca de 1,50 m após o término da cama.

Falando com especialistas!

Parceiros em diversos projetos, fui buscar informações técnicas para enriquecer nossa coluna com a by Kamy, referência nacional no mercado de tapete. A qualidade e originalidade das peças endossam a dedicação dos empresários Kamyar Abrapour e Francesca Alzati à frente de todos os processos.

O diferencial não está apenas no que representa. O ciclo se apoia na criatividade e na superação dos artesãos e, a partir deste conceito, surgem produtos e projetos que unem sustentabilidade, responsabilidade social e tudo o que está relacionado aos valores humanos.

“Podemos observar mudanças em todos os lugares do mundo, especialmente em relação à originalidade das criações. O mercado desafia o novo, o diferente. Essa é a alma do design”, explica Francesca.

“A arte do tear evoluiu com a tecnologia e a matéria-prima, o que também contribuiu para agregar valores ao desafio de novas possibilidades. O tear é a nova tela em branco dos artistas, proporcionando o atrevimento no uso de cores acentuadas e nuances, novas texturas, efeitos, sombreamento, reprodução de imagens e tridimensionalidade. Não só as técnicas ganharam novas ferramentas, assim como os conceitos abriram as portas para a imaginação. O processo de criação das peças permite a incorporação de elementos abstratos inspirados no contemporâneo, na individualidade, no expressionismo e na vanguarda”, completa.

1) Tapetes Kilim enrolados
2) Tapete persa
3) Vendedora Jamilah Freitas que me atende na loja da Alameda Gabriel Monteiro da Silva, em São Paulo
4) diversos modelos empilhados

Levando em conta uma infinidade de modelos, procedências e valores de tapetes, listamos os mais procurados pelos consumidores e suas principais características:

. Ziegler: originário do Paquistão, em sua maioria são produzidos artesanalmente em tons terrosos com estampas de vasos e arabescos. É o mais clássico e imponente dos tapetes.
Ponto positivo: peças artesanais exclusivas e consideradas como obras de arte.
Ponto negativo: preços altos devido ao processo de manufatura.

Persa: leve, com franjas e com estilo clássico oriental nas estampas, esses tapetes são produzidos na região da Pérsia – Cauchos, Irã e arredores. Tornaram-se mundialmente conhecidos pela facilidade no transporte.

Ponto positivo: peças leves e versáteis.
Ponto negativo: estampas demasiadamente marcantes.

. Kilim: geralmente com estampas em cores vibrantes (geométricas ou listras) são tapetes sem pelos, estando dentre os mais despojados por serem versáteis, com um design contemporâneo e atemporal.
Ponto positivo: custo/benefício.
Ponto negativo: podem incomodar os alérgicos devido aos fiapos das tramas.

. Sisal: de toque rustico, este tipo de tapete tem sua produção marcada no interior dos estados de Minas Gerais e Bahia, já com grande representatividade no mercado exterior.
Ponto positivo: preço e versatilidade
Ponto negativo: não pode ser molhado em hipótese alguma, pois mancha

. Sintético: são os tapetes produzidos à máquina a partir de fibras artificiais, tais como o vinil ou nylon, e por essa razão são os mais populares no mercado, mas não necessariamente os mais baratos. Podem ser lisos ou ter estampas personalizadas.
Ponto positivo: peças de fácil limpeza e manutenção
Ponto negativo: cuidado com réplicas de baixa qualidade no mercado

Sempre que possível, solicite na loja a demonstração de duas a três peças antes de fechar a compra – nada como ver o tapete no lugar para evitar contratempos.

Até a próxima!